Contos, Papo furado, Poeminhas

Decepção


o homem que vou matar
senta do meu lado no ônibus
eu estava no fundo
e percebi: ele era estranho
o homem que eu vou matar
se aproximava demais
meu canivete
na mochila
abri-o
e o segurei dentro da bolsa
enquanto lia on the road
e carlo marx esperava
dean e sal paradise
em nova york
enquanto eu espreitava
no canto do olho
qualquer movimento
do homem que vou matar
uma única desculpa
pra cortar sua glote
vê-lo gorgolejar seu sangue
espirrar no meu livro
deixar minhas roupas e o chão
avermelhados
e eu saboreando aquelas duas palavras mágicas:
legítima defesa
legítima defesa
legítima defesa
overkill? desespero
eu seria assaltado
arma branca? preciso pra minhas aulas
riscar rochas e etc
desculpa perfeita
mas o homem que vou matar
não se mexe mais que alguns centímetros
para lá e para cá
ódio mortal
do homem que vou matar
seguro o cabo da faca
e espero
qualquer movimento brusco
tiro a mão de dentro da mochila
num relâmpago
e menos um pescoço inteiro no mundo
mas o homem que vou matar se levanta
calmamente
pede parada
vai embora
e mais uma vez
as circunstâncias
vencem minha sede de sangue
merda
Anúncios
Padrão

6 comentários sobre “Decepção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s