Papo furado, Poeminhas

Timidez


E quando escrevo
elas vêm
me amam me abraçam
e escorrem pro papel
como lesmas rolando
dentro dos cascos

mas daí resolvo falar
e lá vem os helicópteros
tempesdade mar revolto
bombardeio
uma via engarrafada às 17:00

e elas, lentas,
seguindo pela minha língua
cada letra se cravando à unha firme
tomando banho com o grosso do sangue

Para cada uma delas completa
um pesadelo do tamanho do Houaiss

calaboca poema
parco pio
boca pequena
que assim já é demais

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s