Papo furado, Poeminhas

Andarilho


Enquanto o chão
engraxava
meus sapatos
com a poeira

minhas eira e beira
se pardiam
nas pegadas.

E a simples
poesia revolveu-me
um pensamento

criado assim
nos lances
das calçadas.

Embaixo dos meus pés
existe um mundo
inconcebível

mas eu, mendigo,
não me preocupo.

Pois tenho a nobreza
de saber que o meu grito

ao ouvido ignóbil
é um grito mudo.

Tão mudo

que dois com dois são quatro
e todo livro é monte de folhas.

O mundo, o mundo vai girando…

enquanto eu canto e espreito nas encolhas.

Encolhas.

Então, dignidade, quer saber onde ela está?
Tá em bater as pernas por aí…

Sabedoria, o conhecer dos fatos
se nasce e cresce embaixo dos sapatos.

Anúncios
Padrão

2 comentários sobre “Andarilho

  1. “Então, dignidade, quer saber onde ela está?
    Tá em bater as pernas por aí…

    Sabedoria, o conhecer dos fatos
    se nasce e cresce embaixo dos sapatos. ”

    Bicho não tem cabeças rolando, mas ta fera demais cara, muito bom mesmo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s