Poeminhas

REM


Atravessei fracamente as hostes de minha morada
Fui-me ao mundo
Qualquer
Fui a qualquer cidade
(um nome, preciso de um nome)
Toulouse vem à minha mente
Como a um poeta bêbado
(Como) se estivesse ensanguentado
na Taverna de Azevedo
Ouvindo as Histórias da Morte

Saio Sonho
Volto Truque

Nunca fui à França
Nem mesmo quis muito isso
Mas escrevi
Paciência
Troco a respiração de um poema
Pela Legião de Fogo [Que me
—————————-brada à orelha: LUZ!
Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s