Contos

Comunicado para o C-18


Comunicado A1094-88

30 de abril.

Z e W chegaram mais ou menos 14:00 na minha casa, base 14. Trouxeram as caixas. Eu esperava ansioso, olhando a rua pela janela do 1° andar. Fumava um cigarro atrás do outro, e posso mencionar essa manifestação de fraqueza por tudo que fiz pela nossa organização.

Desci empolgado. Os dois abriram o porta-malas e puxaram o primeiro caixote. Parecia pesado.

“Abre aí, X”, disse Z. Passaram correndo pra dentro. Derrubaram com força no meio da sala e voltaram pra pegar a outra. Ainda havia mais duas. Apenas observei eles suarem a camisa.

“Foi duro conseguir isso aqui”, disse Z, “a gente teve que pegar no morro, foda ter que conseguir isso com aqueles macacos.”

“Foda nada”, eu disse, “aquela macacaria nem sabe que tavam vendendo coisas que seriam usadas contra eles próprios. Vai voar banana pra todo lado.”

Rimos. Prometi para mim mesmo tatuar uma cruz de ferro no peito depois de tudo feito. Desculpe admitir essa vontade, mas estava muito empolgado. Ficamos nos olhando, éramos os mais fortes daquela cidade. Tínhamos o poder do nosso sangue e da nossa honra. 88. “Vamos descansar”, eu disse.

Tomamos cerveja e vimos um pouco de televisão para enchermos nossos copos com um pouco mais de revolta. As manchetes? CRIANÇA DE 5 ANOS MORTA EM CONFRONTO ENTRE POLÍCIA E TRAFICANTES, DEPUTADO ACUSADO NÃO QUER SE PRONUNCIAR SOBRE DÓLARES A MAIS NO CAIXA DA CAMPANHA DE 2006, TÉCNICO CAI E TORCIDA SE REVOLTA QUEBRANDO SEDE DO CLUBE, coisas desse tipo.

Assim que acabou o jornal, abrimos as caixas.

Montamos tudo como nos foi passado, seguimos todas as instruções. Em menos de 20 minutos estávamos prontos. Depois fomos montar a filmagem.

Armamos a câmera e colocamos nossas bandeiras na parede. Pusemos nossos capuzes. W operava, “gravando, ele disse”. Eu falava.

Somos o C-18

Comunicamos que as ações dessa noite, madrugada de 30 de abril, são total e completa responsabilidade de nosso grupo. Hoje é uma data especial para nós e para todos, é a vingança que sempre esperamos e que o mundo achava que não teria. A guerra é, além de racial e biológica, atemporal.

88

Colocamos nossas armas no carro. Abri a garagem e W tirou o veículo. Coloquei no rádio Wagner, mas Z queria No Remorse. De qualquer forma, era uma noite diferente. Não havia música para descrever o que sentíamos.

Rodamos.

Sangue e Honra.

Anúncios
Padrão

2 comentários sobre “Comunicado para o C-18

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s