Papo furado, Poeminhas, Uncategorized

Samba sem violão


Não tenho violão
– mas que beleza de poeta –
não canto a noite, a tristeza ou alegria,
nem sou sensível pra ter saudades da aurora
assim que vejo o despontar do meio dia.

O que eu tenho, deus dos céus, aqui eu digo:
amor, ciúmes e paixão por minha preta,
o que eu tenho é uma vontade do capeta
de escrever

o que:
umas palavras que de vez em quando lanço,
eu listo as boas ou ruins de vez em quando
quando o que sinto dá vontade de cantar.

Haha,

Por isso é
que não tenho violão.

Ontem mesmo
fui bolar uma canção…

mas o canto
saiu nervoso e enrolado
cabuloso e mal ajambrado…

por isso só eu canto assim falado.

___________________________________________________

ESTE POST É PARA COMEMORAR UM ANO DESTES TAIS DESATINOS.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s