Poeminhas

Agreste


o céu
canalha
sempre azul

de alumiar
nuca e costela
de boi mago

comendo cacto

e fruta chutada

do pé de pião
morto.

é que lá fora
e aqui dentro

né sertão

mas seco sempre.

mas inda há razão
de dizer amém.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s