Poeminhas

Recado


QUERIA estar em janeiro, como todo mundo,
mas estou em fevereiro ou março.

O peito, esse canalha, mordeu seus ossos
e está em carnaval.

Aos uivos e ganidos.

Pois ainda é lua cheia por estes dias.

Mesmo assim continuo acreditando que
um poema não vale absolutamente nada

e apenas insisto pois acho que a poesia,
antes de tudo, serve pra preencher algumas almas
vazias que existem por aí, como a minha.

Se por acaso existir alma.

E a contradição de ser niilista e achar
que o amor ainda pode curar isso.

Se existir contradição nisso.

Uma coisa é dizer que odeia
qualquer um ou qualquer outro ser

Outra coisa é praticar este ódio
e ser correspondido

com todo o sangue que isto implica.

Por algum deus, que eu durma
e não seja pra sempre, mas que sempre
haja sono.

Pois ainda há muito ódio
pra escorrer pelos meus pulsos.

E espero que ainda existam lâminas
que me lancem jatos de sua raiva
para encher os meus velhos copos

com a sua cólera. De abraços.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s