Contos

Alma de poeta


Eu vi um beija-flor azul bicando a primavera, o céu azul sabão em pó. Eu vi um bando de gaivotas cruzando o céu em v. Então eu escrevi duas linhas da coisa mais bonita que alguém pode escrever sobre a natureza. Declarei todo o amor que eu sentia pelos bichos, pelas flores, pelos dias de sol. Então eu desliguei o computador e fui pra janela fumar. Só tinha lixo, carros e lixo, gente e lixo e eu aumentei o lixo da rua com minha bituca de cigarro. Então eu fiquei olhando pra cima, vendo o céu nublado e cheirando os meus dedos fedendo a nicotina, pensando em ligar o PC novamente e ver algum filme pornô antes de dormir.

Anúncios
Padrão

3 comentários sobre “Alma de poeta

  1. orestes disse:

    pode ser triste mas revela uma situação bem concreta nos nossos dias, um futuro anunciado ha muito pelos escritores de ficção científica agora real… abraço ao Felipe que o conheci hoje pelo msn, com a amiga silvia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s