Poeminhas

Identidade


Sofro de esgares de explicar p’reu mesmo
mundinhos sujos de dentro pra fora
em lenga-lengas de intrincar demoras
em papéis brancos, que de cinza, escrevo

Sujeito, artigo, predicado e verbo
deixo impresso o que do verso chora
pois na audição, estranha, atravesso
ouvindo as vozes que a cabeça isola

sempre poemas são pueris dúvidas
e do poeta restam estrofe e súplica
e alguns medos (até de dizer sim)

Deixo pra lá reflexões tão parcas
– Não sou vampiro de amolar estacas –
sou só Fillipe que quer ser Jardim.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s