Poeminhas

Semana Passada


Não dobrei as roupas.
Passei tudo com tabefes
E joguei dentro da mala
Enrolado. Na cabeça, um
Chapéu cheio de ilusões,
Saudades e mais palavras
gastas.

Nos sapatos, a lama de uma
Terra estranha, incrustada
Por toda a superfície de
Passos largos. Longos passos.
Estaduais.

E a semana passada
fica pra escanteio.
O passado, esse não.
Vai dentro da mochila
E da valise. Mas não é meu.
Milhões de anos, nem pra
Cristo.

Dastilbe elongatus
E angiospermas.

Enrolados em jornais
De ontem – que ironia.

E ao contrário do prospecto
De minhas preocupações,
Não morri na estrada
Ou nas mãos de algum
Pistoleiro de bar.

Talvez tenha até morrido,
como dizem por aí
“cada minuto mais perto
Da morte.” Por outro lado,
Mais perto de casa.

Dezenas de igrejas pelo
Caminho, mas não me benzi.
Só quando cruzei a placa
De boas vindas da cidade
Que eu disse amém.

Aquele temporário
Adeus dos eternos
Viajantes.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s